Qualquer problema de saúde em crianças causa certa frustração nos pais. Tudo começa com a não aceitação: a família pede a opinião de vários médicos e reluta em acreditar que o problema realmente existe. Depois, vem a culpa, com a pergunta: será que fizemos algo que desencadeou o problema?

E essas etapas vêm acompanhadas da frustração de não poder fazer muito a respeito. Então, quando o assunto é perda de audição, as coisas não são diferentes.

Entretanto, aceitar que o problema existe e que, muitas vezes, trata-se de uma questão genética da qual ninguém tem culpa, já é fazer muito pela criança. Isso porque a atitude dos pais tem grande influência sobre a forma como a criança vai encarar o problema e o tratamento necessário.

Se você acabou de descobrir que o seu filho tem perda auditiva e ainda está nessa fase, sentindo-se culpado e impotente, temos algumas dicas que vão ajudar a superar esse momento:

1. Seja realista

Sabe aquela vontade de fugir da realidade e pensar que se trata apenas de um exame errado ou uma condição temporária? Pois bem, você precisa estar preparado para a confirmação de um diagnóstico definitivo.

É normal viver uma espécie de luto ao descobrir que, no lugar daquele filho perfeito que você idealizou, nasceu uma criança com problema. Mas, passado o período do luto, pare de ver o seu filho como uma criança problemática.

Ele poderá se desenvolver e levar uma vida normal e feliz, como todas as outras crianças. Basta que as orientações médicas sejam seguidas corretamente e você faça a sua parte.

2. Vença os seus próprios preconceitos

Algumas crianças relutam em usar o aparelho auditivo ou implante coclear. Essa resistência esconde o medo de não ser aceito na escola e na sociedade devido ao dispositivo. Se os pais também tiverem esse medo, as chances de que ele seja superado diminuem.

Os pais precisam encarar o problema auditivo e o uso do aparelho ou implante coclear como algo que fará parte da rotina do pequeno. É como utilizar óculos ou um aparelho ortodôntico: não há motivo para vergonha. E é a partir dessa visão mais positiva dos pais que as crianças passam a usar o aparelho, sem receios.

3. Liberte-se da culpa

Sabe aquela preocupação de ter feito algo errado durante a gestação ou mesmo logo após o nascimento? Ou a dúvida de ter sido você quem transmitiu ao seu filho o “gene defeituoso”? Esqueça tudo isso!

Você não tem culpa da perda auditiva do seu filho e cabe-lhe auxiliá-lo para que o seu desenvolvimento seja o melhor possível. Jamais se esconda atrás da culpa para negligenciar o problema.

Caso o desenvolvimento do seu filho esteja atrasado, mesmo com o tratamento correto converse com o médico. Em hipótese alguma deixe que o seu cônjuge, a professora ou os familiares o culpem por uma condição sobre a qual você não detém o controle.

4. Abra a sua mente a todas as possibilidades

Dependendo do grau de surdez, pode ser que um aparelho comum não proporcione bons resultados: há casos para os quais é indicado o implante coclear. Se esse for o tratamento mais indicado para o seu filho, esqueça as preocupações relacionadas a cirurgias em crianças e vá em frente.

Se, mesmo com todos os seus estímulos, ele não conseguir se comunicar pela fala, por que não aprender libras? Priorize o que é melhor para o seu filho, sem se preocupar com o que as pessoas ao seu redor vão pensar.

Se este post ajudou a compreender e aceitar melhor a perda de audição do seu filho, deixe o seu comentário abaixo.