Nós percebemos o mundo a nossa volta e seus milhares de estímulos através dos nossos cinco sentidos. No caso da audição, pequenas estruturas do ouvido captam as vibrações dos sons e as transformam em impulsos elétricos para o nosso cérebro. É assim que ouvimos um som.

Esse é um sistema complexo e frágil que pode sofrer alterações ao longo da vida, gerando problemas de audição. Por isso, é preciso estar atento a qualquer mudança na forma como ouvirmos para realizar a detecção precoce de alterações e tomar as medidas necessárias a tempo.

Quer entender mais sobre os problemas de audição e o que fazer quando se tem um? Acompanhe nosso post e tire suas dúvidas:

Problemas de audição

O problema de audição está relacionado com a incapacidade total ou parcial de ouvir um som, de uma ou ambas orelhas. A perda auditiva é classificada de leve (quando a pessoa ainda não sente dificuldade para entender a fala) à profunda (quando a pessoa já é considerada surda), e em diversos casos pode exigir o uso de aparelhos auditivos.

Algumas das principais causas de problemas de audição são:

  • hereditariedade;
  • infecções durante a gravidez (perda auditiva no recém-nascido);
  • exposição sonora intensa e prolongada;
  • traumas, como perfuração do tímpano; e
  • uso de medicamentos tóxicos aos ouvidos.

Sinais de perda auditiva

Listamos alguns sinais relacionados a perda auditiva e indicam a necessidade de procurar um profissional de saúde:

  • assistir televisão em volume mais alto que as outras pessoas;
  • repetir muitas vezes “o que?”;
  • perceber os sons confusos e indistintos;
  • começar a falar mais alto do que de costume;
  • posicionar-se de forma diferente para conseguir ouvir;
  • não responder ao ser indagado; e
  • em situações de perda auditiva mais extrema, a pessoa pode passar a evitar situações de conversa em grupo, pois se sente frustrada e com vergonha.

Exames auditivos

Teste da orelhinha

O teste da orelhinha é o nome popular dado ao teste que verifica a presença de emissões otoacústicas. Ele faz parte dos testes de triagem realizados nos bebês ainda na maternidade, e identifica se o recém-nascido consegue ouvir.

O teste é indolor e é feito com um microfone acoplado a sonda no conduto auditivo externo do bebê. Um estímulo sonoro é emitido e espera-se que o ouvido saudável emita uma “resposta”, que é ouvida pelo microfone.

Audiometria

O teste de audiometria avalia a capacidade do paciente para ouvir os sons. Ele geralmente é realizado quando há suspeita de perda auditiva. O paciente é colocado em uma cabine acústica livre de ruídos do ambiente e sons em diferentes frequências são disparados. Podem ser avaliados o grau e o tipo da perda auditiva.

Imitanciometria

O exame de imitanciometria geralmente é utilizado na detecção de perda auditiva para complementar a audiometria. Ele avalia as estruturas da orelha média e da tuba auditiva (membrana timpânica, ossículos). Um pequeno fone é inserido no canal auditivo e mede a vibração das estruturas do ouvido em resposta aos sons.

Potenciais Evocados Auditivos

Os Potenciais Evocados Auditivos de Tronco Cerebral são os registros da atividade elétrica que ocorre no sistema auditivo em resposta a um estímulo sonoro, do nervo auditivo até o cérebro. Esse exame costuma ser utilizado quando os outros exames auditivos não podem ser realizados ou são inconclusivos.

Ao notar qualquer problema de audição, não exite em buscar um profissional de saúde e realizar os testes auditivos o quanto antes, para evitar a progressão da perda e diminuir o risco de surdez.

E você, já realizou ou conhece alguém que teve que realizar algum desses testes? Conte essa experiência pra gente aqui nos comentários!