Com os avanços tecnológicos que vivemos hoje, até mesmo a inclusão de surdos conquistou melhorias. Isso graças a alguns acessórios que permitem que eles “saiam do silêncio” e assim possam interagir com outras pessoas.

Quanto mais cedo elas forem aplicadas à vida da pessoa que tem alguma perda auditiva, melhor a adaptação. Uma criança que nasce surda, por exemplo, só começa a entender que o mundo não é só silêncio a partir do momento em que começa a usar um aparelho auditivo ou implante coclear.

Paralelo a isso, existem algumas tecnologias que, quando associadas ao uso desses dispositivos, proporcionam resultados ainda melhores. Para ajudá-lo a entender melhor, listamos abaixo algumas das principais. 

Sistemas FM e Roger

Dois ótimos exemplos dessas tecnologias são o Roger e o Sistema FM. Imagine uma criança que começou a usar um aparelho auditivo ou um implante coclear: sua capacidade de identificar sons através desses dispositivos ainda está em desenvolvimento, o que dificulta ouvir em ambientes ruidosos.

O Roger e o Sistema FM são sistemas similares, que devem serutilizados quando o interlocutor está distante ou quando há muito ruído no ambiente. Há locais também onde a própria reverberação da fala atrapalha a compreensão. 

A diferença entre eles refere-se basicamente à tecnologia de transmissão e processamento de sinais. Na prática, ambos fazem com que a voz seja percebida diretamente no microfone do aparelho auditivo ou implante coclear.  Em sala de aula, sua aplicação facilita o aprendizado para crianças com perda auditiva.

Uso de aplicativos

Hoje em dia, somos acostumados a fazer praticamente tudo a partir de aparelhos celulares. Até mesmo as crianças já são capazes de dominar as técnicas de utilizá-los. Além disso, eles também podem ser usados a favor de quem tem perda auditiva. 

Existem algumas ferramentas, como o facetime para iPhone, que permitem que o rosto do interlocutor seja visto durante uma chamada telefônica. Isso facilita a compreensão devido a possibilidade também de leitura labial. 

Acessórios de conectividade

A maioria dos modelos de aparelhos auditivos e implantes cocleares são compatíveis com alguns acessórios de conectividade. Eles facilitam a sua atuação quando o assunto é assistir à televisão ou comunicar-se em um ambiente ruidoso, por exemplo. 

Alguns melhoram a qualidade do som da televisão para que ele seja mais facilmente compreendido. Outros consistem em uma espécie de microfone sem fio, que permite a comunicação à distância ou em meio ao ruído. 

Bobinas de indução

Teatros e museus contam, na maioria das vezes, com bobinas de indução que facilitam a compreensão da fala. Trata-se de um sistema capaz de transmitir o som, quase que diretamente ao aparelho auditivo ou implante, através de um campo magnético. 

Para receber esse som, o aparelho precisa ter um captador ajustado. Para fazer isso, basta conversar com o médico que acompanha o paciente. ​​​

Essas tecnologias são importantes, visto que a perda auditiva pode se tornar um grande transtorno para algumas pessoas. Na escola, há crianças que se fecham por conta disso

Seu uso, aliado a uma observação das expressões corporais e faciais de quem está falando, aproxima a pessoa com perda auditiva da sociedade e a torna capaz de participar de mais atividades.

Percebeu como a inclusão de surdos se torna mais fácil com a tecnologia? Se você gostou deste texto, curta a nossa página no Facebook e tenha acesso a mais conteúdos como esse.