Se os cinco sentidos são indispensáveis para nós, imagine para as crianças, que estão apenas começando a ter as primeiras percepções do mundo à sua volta.

A perda auditiva em crianças pode comprometer o desenvolvimento intelectual, social e o aprendizado do seu filho. Ela pode ser temporária — causada por excesso de cera, por exemplo — ou definitiva — que pode ser congênita ou consequência de algumas doenças do ouvido.

Independentemente do motivo, é importante estar sempre atento aos sinais e mudanças de comportamento dos pequenos. Quanto mais cedo for descoberto o problema, mais eficazes serão as medidas para readaptar a criança à nova condição, e menores serão os riscos de dificuldades na fala ou no aprendizado.

Veja a seguir algumas dicas indispensáveis para lidar com a perda auditiva em crianças:

O que causa a perda auditiva em crianças?

Algumas crianças já nascem com problemas auditivos devido a características genéticas herdadas dos pais. Mas atenção: para que isso aconteça, não é necessário que um dos pais apresente surdez, pois a maior parte destas enfermidades são representadas por genes recessivos.

Doenças como rubéola, sífilis, herpes ou citomegalovirus durante a gravidez podem afetar a audição do bebê, e crianças prematuras também apresentam um risco maior.

Crianças nascidas saudáveis também podem sofrer perda auditiva devido a doenças como sarampo, catapora, meningite e otite média. Aliás, se não for tratada adequadamente, a otite média pode causar perda de audição temporária, que pode evoluir para definitiva.

Até mesmo alguns tipos de antibióticos podem ser responsáveis pela perda, daí a importância de não administrar medicamentos sem prescrição médica.

Quais os sinais de que meu filho está perdendo a audição?

Se o seu filho está demorando mais que o normal para começar a falar ou não reage a estímulos sonoros (como a sua voz ao chama-lo), é melhor consultar um médico.

Mesmo que o teste auditivo para recém nascidos tenha apresentado resultado normal, ele indicará os exames necessários para verificar a audição da criança. Lembre-se que existem doenças auditivas que se desenvolvem com o tempo.

Em crianças maiores, fique atento ao volume utilizado em aparelhos eletrônicos: se o seu filho pede constantemente para aumentar o som (quando você consegue ouvir perfeitamente), marque imediatamente uma consulta com o pediatra. Quanto mais cedo vier o diagnóstico, mais rápido virá a solução.

Como lidar com a perda auditiva do meu filho?

Por mais difícil que pareça, procure manter a calma. É comum que alguns pais fiquem apreensivos e inseguros quando descobrem o problema, mas tenha em mente que você não é o primeiro a ter um filho com essa condição e que o tratamento é muito mais tranquilo do que você imagina.

O primeiro passo é consultar um médico que indicará o tratamento adequado. Se a criança tiver que usar aparelhos auditivos ou Implante Coclear, é importante que ela o use durante todo o tempo em que estiver acordada.

Para quebrar a resistência que a maior parte das crianças têm ao aparelho, vença você mesmo o preconceito, a culpa e a vergonha relacionados à perda auditiva em crianças. Ao se livrar desses sentimentos, será mais fácil conversar com seu filho. Além disso, contar com a ajuda de fonoaudiólogos e até mesmo psicólogos é fundamental.

Gostou dessas dicas para lidar com a perda auditiva em crianças e quer continuar acompanhando nossos conteúdos? Siga a Advanced  Bionics nas redes sociais e não perca nenhuma novidade: estamos no FacebookTwitter e Instagram!