Você sabia que aparelho auditivo e implante coclear podem atuar juntos para garantir melhor qualidade de audição ao paciente? É claro que há casos nos quais optar por um ou outro tratamento traz resultados positivos, mas alguns pacientes realmente precisam de uma solução bimodal.

Para você entender melhor como isso funciona, vamos primeiro explicar o que é e como funciona cada um dos dispositivos citados. Continue a leitura!

O que é aparelho auditivo?

Trata-se de um pequeno dispositivo eletrônico que é usado dentro da orelha. Ele potencializa os sons ambientes, para que uma pessoa com perda auditiva possa ouvir como se estivessem em volume normal.

Ele é composto, basicamente, por um receptor, um amplificador e um microfone. Esse último recebe as ondas sonoras, as converte em sinais elétricos e depois envia ao amplificador. Após cumprir o seu trabalho de tornar o volume mais forte, ele manda os sinais ao receptor sendo a parte que permite que elas sejam captadas pelo paciente.

O que é implante coclear?

O implante coclear também é uma espécie de aparelho auditivo, porém, ele conta com uma parte interna que é colocada no paciente por meio de uma cirurgia simples. Normalmente é indicado em casos de deficiências auditivas mais severas.

A parte externa do implante é removível, e é responsável por captar os sons dos ambientes e transmiti-los à parte interna. Essa, por sua vez, trata de transformá-los em estímulos nervosos que serão captados pelo paciente.

Por que associar esses dois dispositivos então?

A essa hora, você deve estar se perguntando por que um paciente faria uso de ambos os dispositivos. A resposta é simples: para que não haja prejuízos à audição pela diferença do grau de dificuldade entre um ouvido e outro.

Vamos considerar um paciente que tenha perda auditiva severa em um dos lados. Para esse caso, seria indicado o implante coclear. Caso o outro ouvido tenha um residual auditivo, não há por que deixar de utilizar o aparelho auditivo.

Além disso, esses dois dispositivos permitem a audição de formas diferentes. O implante coclear torna os sons mais nítidos, enquanto o aparelho auditivo dá a sensação de profundidade. Dessa forma, com cada um atuando em um ouvido, a experiência de audição do paciente será muito mais completa.

Se o paciente abrisse mão do uso do aparelho auditivo e optasse por ficar somente com o implante em um dos ouvidos, a qualidade da sua audição poderia ser prejudicada. Sem contar que o risco de ficar sem ouvir porque acabou a bateria do implante pode ser recorrente.

Ou seja, caso isso ocorra, há o aparelho auditivo do outro lado para garantir pelo menos o mínimo de audição até que seja possível recarregá-la. Em crianças, o desenvolvimento da fala é preservado, já que ela não correrá o risco de passar por períodos sem audição.

Percebeu por que a dupla aparelho auditivo e implante coclear tem tudo para dar certo? Se você gostou, visite o nosso site a conheça a nossa solução bimodal para pessoas com deficiência auditiva. Vale lembrar que somente um profissional especializado poderá indicar o tratamento mais adequado para cada paciente!